Indice-Palmito Manejo
 FOTOS INICIO
O Palmito Jussara - Fazenda Castanheiras

    A cultura do Palmito na Fazenda Castanheiras foi iniciada em 1970, quando do desbaste de uma área reflorestada em 1944 com Cunninghamia simensis . O desbaste consistiu em se estabelecer um espaçamento de  4m x 4m entre as árvores na área designada  "Floresta Negra".
    A dispersão natural, gerou alí um autentico palmital entre as filas de
Cunninghamia - sementes originárias de resíduos de Mata Atlântica na área.   Constatou-se condições ideais de germinação do palmito em meio às Cunninghamias.
Realizou-se a titulo experimental uma semeadura do palmito na mata Nativa chamada "Palmital ", entretanto nao foi bem sucedida, devido à falta de insolação adequada.
  Novo experimento numa floresta de Cunninghamias, após executado o desgalhamento e desbaste, comprovou ser local ideal para o cultivo sistematico de mudas Jussara.        
    Em 1992 iniciou-se pois a cultura sistematica do Palmito em meio às Cunninghamias - semeadura e encanteiramento de mudas
(em saquinhos) para  o transplante posterior (após 1 a 2 anos).    Tal empreendimento demandou consideravel investimento no preparo das áreas - desbastes, desgalhamentos e plantios
.

    Tais mudas formadas, vem sendo plantadas anualmente no período das chuvas às beiras de Alamedas, trilhas, carreadores, clareiras e em meio aos eucaliptais remanecentes na fazenda, onde a insolação é compativel em decorrencia da existencia dos sub-bosques das espécies nativas em meio aos Eucaliptos remanescentes.  O custo da cultura foi suportado, durante as últimas décadas - (1992 a 2014) pela mantenedora-proprietária - Agro Castanheiras Ltda.
   Antevendo o assédio à area da parte de "palmiteiros ", caçadores e demais intrusos, insensiveis à preservação do meio ambiente, em 1993 a empresa iniciou a construção de sólido muro em substituição às cercas de arame farpado existentes. Tal obra concluida em 2009 demandou 15 anos de trabalho.  Desta forma, todo o perímetro da área ( 5,5 Km), inclusive a área (100.000 m2) adquirida em 2007  - mata nativa, integralmente averbada como Reserva Legal, foi protegida pelo muro adicional. Isto, exceptuando as margens do Reservatorio Billings (3,6 Km). 

      Entretanto, para se dar continuidade a tal cultura, necessário se tornou a obtenção da competente Licença para o manejo do Palmito. O excesso do Palmito redundaria em prejuizo das especies nativas que vinham sendo plantadas desde 2004 em decorrencia da execução do Plano de Reversão Florestal aprovado pelo IBAMA, epoca em que se cogitava criar a RPPN.

    Tal reintrodução de espécies Nativas depende de um minimo de insolação, que ficaria consideravelmente reduzida debaixo das copas dos palmitos.
    Trata-se de trabalho sério, metódico, cujo elevado custo é suportado exclusivamente pela proprietária da área.

    Necessário se torna, gerar alguma receita, através da eventual comercialização de palmito
“in natura”, como também eventual extração da polpa das sementes (açaí ) do Palmito Jussara.
    Em 2014, finalmente após 3 anos e 9 meses de tramitação, junto ao poder publico do Estado e do Municipio, foi aprovado o Plano de Manejo do Palmito Juçara, proposto pela empresa.
                 (CNPJ: 60.542.842/0002-88 - I.Est.: 105.397.248.116)
            CETESB Proc. nº 000000001490/2011 Autoriz. nº 0000023241/2014
                        Reg. IBAMA nº 51.745   -  SVMA - TCA: nº 161/2014.